Conforme vem acontecendo com alguns usuários, ainda esta valendo a utilização do arquivo ads.txt. No passado por iniciativa da IAB TechLab (Interactive Advertising Bureau) junto com o Google, assim como foi realizado em outros países, estabeleceram uma norma a fim de declarar quem está autorizado ou não à vender através de anúncios em cada site.

Em pesquisa realizada pelo IAB Brasil no início de 2018, com todos seus Publishers associados, concluiu que apenas 57% já têm o arquivo ads.txt instalado. Sem este item, o Publisher pode ter sua receita prejudicada caso sua audiência seja comercializada sem autorização.

Essa medida foi realizada e vem sendo observada à cerca de 2 anos, a fim de normatizar e inibir falsos revendedores. Apesar de frequente, o google vem enviando alertas através do AdSense, como na imagem abaixo:

Por quê incorporar o arquivo ads.txt

E mesmo assim muitos não sabem como lidar com isso, mesmo nunca terem incorporado o arquivo ads.txt em seu website.

Por que tenho que incorporar o arquivo ads.txt em meu site?

O uso deste arquivo serve para tornar a relação entre anunciantes e revendedores mais transparente e segura, é um dos padrões de boas práticas do Google, se tornando importante para a verificação de qual revendedor está autorizado ou não a usar publicidade programática no espaço do seu website.

É um método simples, basta guardar um arquivo chamado vendedores digitais autorizados, ou simplesmente ads.txt.

Os sites que não se adequarem podem ter redução da receita no AdSense e como é dito pelo próprio google:

“Declaração de vendedores com autorização pode auxiliar você a receber valores de anunciantes que teriam sido destinados a inventários falsificados”.

Google Ads

Criando o arquivo ads.txt

A criação é bem simples, abra seu bloco de notas ou qualquer editor de texto e crie um arquivo com o nome ads.txt, em seguida entre vírgulas digite os dados nesse formato:

<domínio>, <ID>, <Tipo>

<domínio> – O nome de domínio do sistema de publicidade que você utiliza, no caso do google, use google.com. Se utilizar outro sistema de ads vale consultar qual o domínio que eles disponibilizam.

<ID> – Serpa digitado o ID da sua conta de anúncios. No caso do google estará nesse formato “pub-0000000000000000”.

<Tipo> – O tipo de relacionamento da revenda ou do anuncio, existem uma serie de parâmetros distintos nesse campo, mas os mais utilizados é DIRECT ou RESELLER.

  • DIRECT é adicionado quando o editor (proprietário do conteúdo) controla diretamente a conta indicada (utilizado pela maioria dos blogers ou editores de sites).
  • RESELLER é quando o editor autorizou outro meio a controlar a sua conta exibida no campo anterior a revender espaços para anúncios por meio do sistema do <domínio> mencionado acima. Editores do Google que não controlam diretamente a conta indicada no ID.

Existe um quarto parâmetro que é opcional, utilizando o ID de autoridade da certificação,que é um ID que identifica o sistema de publicidade dentro de uma autoridade de certificação.

O conteúdo deve ter os 3 blocos obrigatoriamente, caso existir mais de um vendedor autorizado, você deve incluir mais uma linha separada no arquivo. O conteúdo do arquivo ficará dessa forma no exemplo abaixo:

google.com, pub-0000000000000000, DIRECT

O código acima é um exemplo customizado para o Google AdSense, mas no caso de revenda, utilize o RESELLER no lugar do DIRECT.

Subindo para o seu website

Arquivo pronto e salvo agora basta subir o arquivo ads.txt para o root da sua hospedagem, ou direto para o public_html caso usar VPS. Seu domínio ficará dessa forma:

https://dominio.com.br/ads.txt

Agora basta aguardar o google, entre 2 a 7 dias para reconhecer a modificação, espero que seus ganhos passam a aumentar após essas modificações.


  

Tem mais algumas idéias? Funcionou pra você? Deixe nos comentários.

5 (100%) 2 votes